Kdrama - It's Okay, That's Love

27 novembro 2016



It's Okay, That's Love foi um drama super popular de 2014 e eu só vim ver esse ano, na verdade eu nem sei bem porque não assisti esse drama logo quando lançou, afinal ele tinha um membro do Exo, um lindo Oppa e uma trama incrível, mas fui sempre deixando pra depois... Na verdade só decidi mesmo ver esse drama porque eu estou assistindo Jealousy Incarnate, um drama que ainda está em andamento, então nos dias em que eu tenho que esperar até o proximo episodio sair eu re-assistia um ou outro episodio de The King 2 Hearts e assistia um episodio de It's Okay, That's Love , assim eu via o Jung Suk e a Gong Hyo Jin, pessoinha de quem eu to virando fã de carteirinha.  Mas eu acabei abandonando The King 2 Hearts e me dediquei unicamente a It's Ok, That's Love porque eu não conseguia parar de pensar nesse drama!

O drama foi tão popular que  mesmo sem eu ter visto eu já conhecia a história todinha, simplesmente porque eu sempre via ele passando na linha do tempo do facebook ou do MyDramaList. E por isso eu até cheguei a pensar que a experiencia de assistir ao drama não fosse ser tão boa, afinal você já sabe o que vai acontecer e acaba não se surpreendendo ou ficando na expectativa, mas a verdade é que nada disso atrapalhou, It's Okay, That's Love é tudo isso mesmo que as pessoas dizem e mais um pouco. 


Mas vamos falar sobre a história do drama né?

Jang Jae Yul é um escritor famoso de mistérios e DJ de uma radio, apesar de sua personalidade sempre alegre e otimista JeaYul esconde um passado conturbado e esses problemas do passado reflete nele através de um TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo). Em uma entrevista para TV onde o assunto tratado era o comportamento agressivo dos personagens do seu livro ele conhece a psiquiatra Ji Hae Soo. Hae Soo já foi fã dos livros do Jea Yul mas antes dele passar a escrever apenas livros de mistérios cheios de crimes e mortes sangrentas, Hae Soo acaba criando antipatia com o autor e isso só aumenta mais quando ela o conhece pessoalmente.  Mas nesse momento Hae Soo acaba atraindo a atenção do escritor Jea Yul, que por sinal é um mulherengo irritantemente charmoso e no inicio ele acaba vendo a Hea Soo como um desafio. 

Hae Soo e Jea Yul se encontram algumas vezes por acaso, mas quando a casa de Jea Yul passa por uma reforma, o escritor acaba se mudando para uma casa sua que estava alugada para três pessoas, dessas três uma delas é a Hae Soo. 
No inicio é difícil para os dois conviver sobre o mesmo teto, mas conforme o tempo vai passando eles vão se familiarizando e a Hae Soo também acaba ficando atraída pelo Jea Yul. Mas para a Hae Soo é dificil demostrar o que sente porque ela também sofre de uma síndrome, ela não consegue ter  contato físico com um homem depois que viu sua mãe cometer adultério. 

Os outros dois colegas de casa do Jea Yul são o Jo Dong Min que é o sunbae da Hae Soo, também psiquiatra, dos dois trabalham juntos no mesmo hospital e o Park Soo Kwang. Soo Kwang também tem uma síndrome que faz com que ele tenha uma especia de espasmos, semelhante a espirros, sempre que ele fica nervoso. 
E muito fofa a forma como esses três acabam se tornado uma família para o Jea Yul, a forma como eles se preocupam uns com os outros, até mesmo os momentos em que tem desentendimentos, como toda família tem. 


Eu sempre falo da química entre o casal de protagonistas, e sim, a química desses dois foi incrível, mas mais do que isso, o entrosamento entre todo o elenco foi incrível, a atuação de todos foram incríveis. 
E eu confesso que não esperava que o Lee Kwang Soo fosse se sair tão bem nesse papel (Park Soo Kwang), mas ele me surpreendeu, ele era um personagem divertido sim, mas também conseguiu transmitir a dificuldade que uma pessoa com essa síndrome sofre e nos emocionar. 
Outro ator secundário que me surpreendeu foi o D.O, apesar do que todos diziam eu ainda tinha minhas duvidas, acho que me deixei levar pela atuação dele em Exo Next Door, mesmo eu lembrando a mim mesma que aquilo era um Web Drama, o que tornava tudo muito fraquinho. É muito frustrante não poder falar sobre o personagem do D.O porque seria spoiler. 

 É sempre bom  assistir dramas com histórias mais maduras, abordando assuntos mais sérios, sem enrolação pro casal principal ficar junto.  Além disso assim como os livros do Jea Yul, dois grandes mistérios envolvem o drama, e conforme o decorrer dos episódios isso vai sendo revelando.  

O drama aborda problemas mentais e como essas pessoas são vistas pela sociedade e como elas lidam com a própria situação, como elas fazem para tentar superar isso, mas mesmo tendo esse tema, o drama é leve e diversas vezes divertido.  O drama é tão incrível, eu não canso de repetir simplesmente porque é. 

E o final.... Eu acho que nunca gostei tanto, mas tando, de um final de um drama. O desfeche da trama é completo, sem pontas soltas, a ultima cena é maravilhosa.

Acho que não preciso nem repetir mais o quanto eu amei esse drama né? Porque eu amei, amei demais! Eu estou aqui com uma baita ressaca pós termino de drama e nunca em toda minha vida fiquei tão triste por um drama ter apenas 16 episódios, eu queria muito mais. Se eu pudesse eu forçava todo mundo a assistir.



Assista Its Okay, That's Love:

2 comentários:

  1. Ooi, ainda não conhecia o drama, mas fiquei curiosa para assistir! espero que goste !
    beeijos
    http://bellapagina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia e nunca tinha ouvido falar. Mas adorei a ideia da história :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir

© Janela de Memórias - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Caroline Morais.
Tecnologia do Blogger.